Press "Enter" to skip to content

Massagem Tantrica, Como eu aprendi? 🔥

Ares 0

Por que eu quero te falar da massagem tântrica? 
Sem duvida alguma, a Massagem Tântrica mudou minha vida, da mesma forma que o BDSM também mudou, acho que até de formas complementares. E eu devo muito a algumas pessoas, uma delas é a N., que insistiu e me levou ao primeiro curso, e a outra pessoa é o Gilson, que foi e ainda é meu professor, e que hoje em dia se tornou um grande amigo e mentor.

Não tem como falar somente da massagem tântrica, sem falar também de tudo o que acontecia durante o momento em que conheci a massagem tântrica, e fiz o primeiro curso livre de massagem tântrica, do Gilson Nakamura.

Acho que era 2012, a minha vida estava meio bagunçada. Eu tinha  3 mulheres maravilhosas N., R., L., e a participação especial da S., todas pessoas maravilhosas, mas que das suas formas de amar, me sugavam muito. 

Eu sempre tive o sonho de ter várias mulheres. Sabe aquele tesão do homem hétero “médio”? Eu tinha, e estava realizando, só que era pesado. O Ego estava totalmente satisfeito, eu tenho uma foto das 3 me chupando, que tirei deitado na cama através do espelho do motel (com autorização delas, claro) e eu me sentia MUITO FODA. Só que o tesão, a ENERGIA, e até a vontade de ter experiencias como essa com frequência, eram coisas que vendo hoje me desgastavam.

Do outro lado, estava a N. que era uma mulher linda, que me deu a honra de conhecer o BDSM comigo, eu fui o primeiro Dominador com quem ela teve sessão e que também tinha os problemas dela. Ela era uma mulher que tinha o profissional bem bacana, tinha projetos e fazia muitas coisas muito massa, mas tinha uma dificuldade enorme de ter orgasmos.

Ela se cobrava muito pra conseguir gozar na penetração. Ela me contou certa vez, que tinha falado pra um namorado, ou rolo, não lembro direito, dessa dificuldade de gozar na penetração, e na maior boa vontade, o cara foi tentar ajudar, trouxe consolo, vibrador e mais um monte de coisas, mas isso acabou incomodando, colocando mais pressão e travando mais ainda.

De um lado estava eu, um pouco inseguro, com pessoas sensacionais, mas não sabendo lidar. Do outro estavam as submissas N., R. e L., que estavam tentando dar o seu melhor, mas também não sabiam como lidar.

No BDSM tava Ok, São, Seguro e Consensual, só que não estava “Prazeroso Pras Partes” o suficiente, tava meio mais ou menos de “nível de prazer”. Mas pra tanta gente, querendo tanta coisa diferente, pois eram muitas expectativas, que em alguns momentos eram até conflitantes, que ficava difícil equilibrar tudo.

A Massagem Tântrica é um processo de autoconhecimento, como o BDSM, só que traz uma perspectiva diferente. 

No BDSM a gente trabalha a conexão através dos fetiches e das perversões. 

No Tantra, a gente trabalha energia.

A energia do tantra vem da nossa energia sexual, e é interessante que é diferente energia sexual de base (Kundalini), de Tesão de transar.

Movimentando a energia da Kundalini, a gente ganha energia pra fazer as coisas, desde trabalhar no dia a dia, até transar mais gostoso. 

Tem alguns estágios, o primeiro vc ta lá de corpo frio, e ai começam os toques, você começa a sentir sua energia fluindo.

No segundo estagio, você sente seu corpo vibrando, tremendo, tem gente que tenta entender, tem gente que só aceita a vibração. Aqui tem gente que se trava toda, tem gente que se solta.

Num terceiro estagio, vc sente que vai explodir. É muito gostoso. Você sente a energia aumentar muito, começa a sentir como um orgasmo fodástico. E aí vem um, vem outro, e outro, e outro………..

No ultimo estagio, vem um relaxamento e uma certa introspecção.

E por ultimo vêm a lembrança: “Seja o que quer que você tenha sentido, é SEU”.

Tem gente que se prende a expectativa, e não consegue se permitir. Tem gente que se joga e aceita o que vier. Tem gente que se trava e não sente. Tem gente que se solta logo na primeira. Mas isso é dela e o fato dela tomar essa experiencia pra si, faz com que mude tudo.

Com a energia alta, fica mais fácil de entender o que trava a gente, e aí você resolve isso.

E é interessante o que a gente consegue fazer quando a gente diminui as coisas que travam a gente. Eu nunca me imaginaria saindo de BH, indo pra SP, pra viver experiencias tântricas.

Gasta dinheiro? Sim, e não é pouco, pelo menos pra mim. Gasta tempo? Sim, o tempo da viagem, deslocamento, a duração do curso, etc. É desconfortável? Sim, é muito estranho viver essas experiencias novas, mexe com a gente.

Só que o desconforto passa, as experiencias, a energia, e o empoderamento pra resolver o que a gente precisa e viver melhor, ficam.

Se eu faria de novo, sim! Com certeza! Tanto que saí de BH, rodei 582 km, e fui pra SP de novo tem pouquíssimo tempo.

Só que as vezes, você não precisa sair da sua cidade pra viver tudo isso.

O Gilson faz Workshops e Cursos em várias cidades do Brasil.

Inclusive, aqui em BH vai ter muita coisa do dia 03 até o dia 15 de julho, e se não me engano são só 12 vagas pro curso de massagem tântrica.

Se você não for de BH, dá uma olhada na agenda dele  => http://www.gilsonnakamura.com.br/agenda-de-atividades/

De qualquer forma, eu vou deixar os contatos.
Fone: (11) 9 4235.8384 (somente WhatsApp)
E-mail: gilson.tantra@gmail.com

Pode fazer pessoa solteira e casal.

É isso, eu sou muito grato à tudo que pude viver, e to divulgando as coisas ótimas que o Gilson, que é meu amigo, está fazendo!

Deixo aqui uma imagem que representa muito o que senti com Tantra e todas as vivencias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *