Press "Enter" to skip to content

Feminizacao, CrossDresser e Sissy

Ares 0

Todos esses fetiches fazem parte da maioria da lista dos fetiches de BDSMers e fetichistas em geral. É comum que a maioria cite pelo menos um desses, e varia muito em termos de intensidade, e até o tanto que cada um elabora o próprio fetiche.

É visível que sempre que exploramos um fetiche, ele costuma ser pouco comum, normalmente é algo inusitado e eventualmente até vai contra “o que as pessoas pensariam?”.

 

O fetiche da feminização acaba por ser algo que mexe muito principalmente com os homens. Eles se permitem experimentar e acabam extremamente excitados com esse jogo. É extremamente comum na dominação feminina, uma Domme dominando um submisso e feminizando-o.

 

Dentro dessa situação de feminização, percebe-se duas “subdivisões”, uma delas é a CrossDresser e o outro é a Sissy.

 

CrossDresser

É aquele que veste roupas ou usa objetos atribuídos ao sexo oposto. Independente do motivo, que pode ser, vivenciar uma faceta feminina (para os homens), vivenciar uma faceta masculina (para as mulheres), por motivos profissionais, para obter alguma gratificação sexual, etc.

Este tipo de “brincadeira” pode ser vivenciado tanto por casais, quanto pela pessoa individual, de “sair de casa” de forma diferente.

Um CrossDresser típico, não modifica seu corpo, eles não usam terapias hormonais e não fazem cirurgias. O CrossDressing não está relacionado com transexualidade.

Da mesma forma que a orientação sexual, não está vinculada. Um CrossDresser pode ser heterossexual, homossexual, bissexual, pansexual e até assexual. Ou mesmo flexível em algumas dessas orientações.

Dentro do contexto da brincadeira, como fetiche, há diferentes níveis de intensidade, tem pessoas que curtem uma coisa mais “mínima”, como um homem que curte usar calcinha sob as roupas, ou se depila pois gosta de ter as pernas com uma aparência mais feminina. Tem também pessoas que adquirem todo um guarda roupas com diversos looks para diversas ocasiões.

Um CrossDress normalmente tem um “nome” ou apelido para o seu outro lado, que pode ser uma versão feminizada ou masculinizada do próprio nome, ou mesmo um outro nome que a pessoa escolheu ou lhe foi dado.

 

Este fetiche é tão variado, que há pessoas que gostam de se vestir assim, para sair pra uma balada, para ficar em casa, para ter sexo com o parceiro, para dominar, para se submeter, etc.

 

É quase um fetiche a parte, eventualmente pode ser até uma identidade a parte, que simplesmente surge da vontade de se ver diferente, etc.

Aqui também tem as Drag Queens, Drag significa DRessed As a Girl.

 

 

Sissy

A sissy também é um CrossDresser, mas enquanto o CrossDresser ou CD, se traveste por escolha própria. O jogo da Sissy vem imposto pela Dominação. Sendo o submisso forçado no papel feminino em um jogo pervertido, que normalmente envolve subserviência, ou seja, submissão com humilhação.

Sissification, ou sissificação é o nome do “processo” pelo qual, normalmente, a Domme, monta o seu submisso. Esse processos costuma passar por ensinar o submisso algumas tarefas de casa, ensina-lo como andar de salto, fazer as unhas, fazer cabelo e etc.. Tudo que o Dominante achar que pode ser interessante ensinar a sua Sissy.

DovSherman.deviantart.com

Como funciona?

 

O jogo pode se desenrolar de muitas formas, MUITAS mesmo, desde pequenas humilhações e atribuições diárias, até um período de tempo que pode levar dias em que o submisso fica “preso” neste papel.

O maior objetivo, não é necessariamente excitar, mesmo que tenha muito tesão envolvido, o maior objetivo desse jogo, de sissificar o sub, é o de fortalecer a relação.

Um sub que é forçado nesse jogo, e que o Dominante sabe como ser confiável e cumplice, acaba por se sentir parte da relação e se entrar de uma forma mais substancial.

 

 

O que você faz com uma sissy?

Algumas ideias eu vou listar, mas tudo isso depende muito das pessoas envolvidas na relação.

– Uso de um cinto de castidade. Se você vai tomar a masculinidade do submisso, se você vai forçar ele a ser a “femea” da relação, é extremamente interessante que você tome dele o controle do que mais faz ele se sentir homem, que é o pênis. Tem cintos de castidade de todos os modelos e preços. O cinto de castidade masculino, normalmente impede a ereção completa e impede que ele se masturbe, sendo assim você também ganha controle sobre os orgasmos dele.

– Controle os orgasmos dele. Um submisso fica muito mais submisso quando está com tesão, se você controla os orgasmos, controla o tesão, você consegue com que ele “trabalhe” e mereça os orgasmos.

– Bondage. Bondage cabe em tudo!

– Inversão. Em inglês há quem use o termo “pegging”. Inverter o submisso não faz dele homossexual, só faz com quem você use ele da forma como bem entender. E penetrando ele, enquanto ele esta vestido em roupas femininas, pode ser um jogo tanto excitante quanto humilhante.

– Plugs e acessórios anais. Fornecem jogos interessantíssimos, tanto sob as roupas em locais públicos, ou usando enquanto faz alguma tarefa em privado.

– Escolha as roupas. Podem ser roupas suas, podem ser roupas que você fez ele comprar para a ocasião. Fica muito mais fácil entrar no papel quando se tem as roupas.

– Se ele vai exercer alguma atividade “profissional” pra você, como uma “escrava domestica” ou sissy maid, faça ele usar um uniforme. Serve até fantasia de sex shop, a tosquice do meio feminizado também é interessante.

– Se o contexto pede humilhação, há quem prefira um sub “meio feminizado”, imagina aquele homem barbado que da cabeça pra baixo tem uma figura bem feminina.

– Ensine ele a fazer alguma tarefa que tenha valor pra vc. Seja fazer suas unhas, pentear seus cabelos, organizar os seus sapatos ou qualquer coisa que ocupe ele um tempinho.

– Escolha o nome da Sissy, ou pergunte caso o submisso já tenha tido essa experiência. Chama-lo pelo nome da Sissy é interessantíssimo. Se ele ouve e se assusta ou trava toda vez, é interessante pois tira ele da zona de conforto e coloca ele imediatamente na hierarquia da relação. Se ele se acostuma, vc humilha ele dizendo que ele já se tornou sua “menininha”.

– Faça a Sissy admitir que gosta disso tudo, ou mesmo pergunte a “ela” qual o nome dela.

– Castigos físicos, spanking, maquiagem, depilação, lingerie, etc etc etc.

 

Imagine algo que mexa com o sub, isso também pode servir!

 

Observações importantes:

Todos os jogos são consensuais. O submisso tem o poder de parar a brincadeira, e normalmente isso é combinado e estabelecido através da Palavra de Segurança (SafeWord).

 

Cuidado com isso em público, principalmente com a imagem.

 

Só tem graça se os envolvidos são de confiança.

 

Converse, e converse muito, a chave para que você consiga jogar com seu parceiro e ser bom para os dois, está principalmente no que ele diz e demonstra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *