Press "Enter" to skip to content

Qual o principal erro que um novato comete quando se interessa por BDSM?

Ares 4

 

Já tem algum tempo que reparo isso, e parece ser absurdamente comum.

 

Imagine que você tropeçou hoje no BDSM, tudo fez sentido e você desejou ardentemente, de todo o seu ser, viver todas essas experiências.

Segue com algumas leituras, entende o básico, as siglas, alguns fetiches. Associa coisas que já viveu com alguns fetiches, descobre que tudo que te excitava tem nome! UAU!!!

 

Cria um perfil em alguma rede social, um perfil destinado a BDSM e a realizar seus fetiches.

 

Se você for mulher, em instantes começam algumas abordagens. Se você for homem, em instantes você começa a abordar outras mulheres. Se você for gay, você começa a abordar pessoas do mesmo sexo. Normalmente as mulheres são mais “passivas” e não abordam outras pessoas.

 

As abordagens são tipo assim:

“Olá menina,
Sou Dominador a X anos, procuro uma sub para relacionamento, quero isso, quero aquilo, sou isso, sou aquilo.

Beijos e tapas,

Dom Picka”.

 

“Olá Senhora,

Adoraria estar aos seus pés.

Adoraria servir a Senhora recebendo inversão.

Beijos submissos

Submi$$o Rico”.

 

Imagina algum texto pronto? Serve também.

 

Não acredita? Crie um perfil no fetlife, rapidamente você passará a acreditar.

 

Na verdade, por mais tosco que seja, não acho que essas formas de abordar sejam erradas. Elas funcionam, de cada 100 pessoas 1 responde.

De cada 100 pessoas que recebe aquele texto pronto, que a pessoa usa há alguns meses, 1 pessoa se identifica e responde.

De cada 100 pessoas que recebem “bom dia”, “boa tarde” e “boa noite”, 1 responde. (eu acho educado desejar bom dia, boa tarde ou boa noite no inicio de uma conversa, mas a conversa não pode se resumir a isso, enviar e ficar esperando o outro puxar assunto).

 

E tem também os flooders.

 

Flooders são aqueles que vêem que a pessoa é ativa porque curtiu alguma foto ou postou algo, e ficam enviando mensagens praticamente repetidas.

“Oi, fala comigo?”

“Nossa, adorei sua foto, fala comigo hoje?”

“Hoje é um bom dia pra falar comigo, ein?”

“Você deveria realmente falar comigo”

“Me dê atenção, eu imploro!”

 

Ah, tem alguns homens gays que usam: “e aí? Curte o que?”

 

Sério que isso funciona, inclusive, gays homens são bem mais práticos, tem menos mimimi e talz.

 

Tá, mas qual o erro mais comum de um iniciante?

Acreditar na “coisa” errada.

 

 

Se você é aquele que aborda, é errado acreditar que sua abordagem funciona sempre, o tempo todo e com todo mundo. Continuar repetindo então, sem sequer ler o perfil da pessoa é um erro grotesco, digno de um pensamento do tipo “nossa, que pessoa babaca, NUNCA vai ter nada com ninguém”.

Já vi, inclusive, pessoas que não se deram ao trabalho de ler o gênero no perfil rs. Ou ainda aqueles que não leram “opção sexual” ou mesmo o papel. Abordaram como se fosse uma coisa e ainda se sentiram ofendidos com uma má resposta.

 

E é claro, o erro dos que são abordados, é achar que aquele texto pronto foi escrito para eles. Ou que a insistência de alguém significa interesse real. Ou que basta esperar que tudo acontece.

 

Então, pare de se enganar e comece a se questionar.

 

O que vai funcionar pra você que é novato e quer deixar de ser, é agir na direção do que quer.

 

Independente do papel que escolher, valorize boa conversa. Evite negociar com várias pessoas ao mesmo tempo.

E se encontrar alguém que valha a pena, deixe que a pessoa saiba disso e se coloque na posição de “eu quero, estou interessado”.

Já vi pessoas que tinham tudo a ver e tudo desandou porque não disseram um pro outro “eu estou interessado”. Ficaram esperando a outra parte tomar a frente e nada aconteceu, nunca.

Desde Dominantes que acharam que o submisso não estava interessado pois demorava a responder, quando na verdade ele estava ocupado trabalhando, com amigos ou fazendo algo realmente importante e não disse isso ao Dominante. Até submissos que acharam que o Dominante não queria porque o Dominante não queria admitir que queria o submisso.

 

Parece tudo meio vago.

 

Mas faz muito sentido quando se tem o pensamento “é a minha vida, é o meu prazer, então eu quero dessa forma e com esse tipo de pessoa, e vou fazer o que for necessário para que seja bom”. Acredite nisso, vai te fazer bem.

 

Tente ler em voz alta: “é a minha vida, é o meu prazer, então eu quero dessa forma e com esse tipo de pessoa, e vou fazer o que for necessário para que seja bom”.

 

Can you feel it?  *.*

  1. Anny Anny

    Muito interessante, é dessa forma mesmo! Você descreveu minha experiência com riqueza de detalhes, optei por manter o foco, e para os erros que já cometi eu soube reconhecer e não cometê-los mais.

    • Ares Ares

      Obrigado pelo comentário!

      Acho que o maior desafio que encontramos é aprender com os próprios erros sem que isso nos deixe frios e insensíveis.

      Espero que o texto tenha te ajudado.

  2. Acho que a maioria de nós quando iniciantes vimos muito isso acontecer e ultimamente infelizmente tenho presenciado alguns horrores na net de amargar.

    • Ares Ares

      Tambem tenho visto muitos horrores, e a forma de resistir a isso é informar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *