Press "Enter" to skip to content

O Jogo de Poder

Ares 0

A um tempo li Assim falou Zaratustra (Nietzische), o livro em si, como toda filosofia nos pega por alguma coisa, a que me pegou ali foi: “O verdadeiro homem quer duas coisas: perigo e jogo. Por isso quer a mulher: o jogo mais perigoso. “.

Tirando a dinâmica Homem x Mulher, isso pode ser aplicado a quase todas as relações interpessoais. Qual a maior graça das relações? Além da cumplicidade, do companheirismo, das trocas, e etc. O que mais excita é o jogo. Não que todos os dias haverão coisas diferentes e jogos e cenas e etc. Mas eventualmente é necessário, ele faz com que a relação se mantenha airada, é como respirar as vezes.

Desde aquela cena em que um dos parceiros veste uma fantasia, até aquela cena pública, todos precisam de extravasar as vezes. Sem ter que ficar disputando poder, ou lembrar ao parceiro a toda hora a toalha sobre a cama, fazer um jogo pode sair completamente da rotina.

Portanto eis aí o maior atrativo do BDSM, O jogo.

No BDSM a regra clara é o São, Seguro e Consensual. O submisso quer se entregar e por isso o dominante domina, a isto dou o nome de jogo de poder.

Imagine que na vida baunilha (mesmo sendo um casal BDSM, eles costumam ter vida baunilha), um casal disputa poder sempre. “Amor, vamos a casa da minha mãe” na maioria das vezes a outra parte não quer ir, então em algumas a outra parte cede e vai. Ceder porque é bom para relação, as vezes porque é importante para o outro, ou ceder porque o outro exerce seu poder.

Dentro da vida baunilha é normal brigarmos por poder, para manter nossa posição, tanto no trabalho quanto nas relações. No BDSM, dentro da cena, não.

Está claro, o Dominante domina. O submisso se submete.

O jogo de poder acontece no exercício da dominância. O submisso quer ser dominado, portanto é interessante que o Dominante use, sempre que possível e para coisas assertivas, o “não”.

tumblr_oab642ar3z1rc3izjo1_500

“Posso me masturbar Senhora? ” “claro… hahaha”

As vezes o submisso pede para levar um não, para se sentir dominado. Esta é meio que uma forma tanto de chamar atenção, quanto para se sentir dominado. Dentro desse jogo de colocar limites ao submisso (numa interpretação de Bondage), pode haver também a pergunta do “Por que? “ . Perguntar o “por que” a pessoa quer fazer algo, pode inibi-la e até humilha-la a ponto de ela não querer mais, e enquanto isso o Dominante exerce seu poder, se diverte e o submisso se sente acolhido.

Já viu que algumas relações da dinâmica D/s não duram? Podem haver diversos fatores, mas com certeza um deles, e acredito ser o mais comum, é a ausência do jogo de poder. O Dominador fica tentando tornar tudo melhor para o submisso, ou ainda se ocupa muito de sua vida baunilha, não tendo tempo mesmo, de lidar com um submisso, e “esquece” de domina-lo.

Quando o Dominador não exerce sua dominação, o submisso se perde. É consenso que todos os submissos chegam ao BDSM procurando se livrar um pouco do auto controle que tem que ter diariamente, da rotina, dos problemas e de mais um monte de coisas. Como você tira o controle de alguém? Colocando limites e explorando limites, é como colocar um guarda corpo em um caminho, o Dominante escolhe o caminho e faz o submisso seguir por ele, o guarda corpo são as limitações e o apoio para que o submisso não saia do caminho escolhido pelo Dominador.

Normalmente há alguns consensos que percebi no meu tempo de BDSM.

– Os submissos costumam ser privados da masturbação.

– Os submissos são impelidos a violar o próprio corpo, fazendo algumas coisas sozinhos, sob a supervisão (virtual) dos dominantes, ou penetrando a si mesmos.

– Os submissos as vezes são obrigados a usar lingerie especificas ou nenhuma.

– Os submissos são obrigados a pedir coisas especificas e que seriam simples. (Enquanto está com o Dominante, pedir para ir ao banheiro, por exemplo).

– Há pessoas que entram no BDSM sem saber o que querem direito, eles querem se sentir dominados mas não tem coragem para se entregar, usam o apelido de brat e usam disso para ser deseducados e não jogar o jogo como deveriam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *