Press "Enter" to skip to content

BDSM é coisa de gente Normal

Ares 0

(texto originalmente postado no bdsmmg.com.br o site que eu uso para divulgar eventos em BH)

Normalmente, quando as pessoas falam de BDSM, elas associam a SadoMasoquismo (SM para os íntimos) e isso vem com uma série de estereótipos “doente”, “louco”, “tarado”, “pervertido”.

E este é o maior mito que envolve BDSM.

Nós BDSMers somos pessoas que você conhece na padaria, que gostam de sair pra jantar, de programas com a familia, etc. Nós estamos presentes em inúmeras esferas sociais com os papéis que nos cabem.

Somos estudantes, somos advogados, somos médicos, somos empresários, somos professores, somos engenheiros, somos aquela Senhora que vc conheceu no onibus, etc. Nós BDSMers, Nós Fetichistas, vivemos nossa vida normalmente, alguns formam casais que exploram seus fetiches juntos, outros são solteiros, somos iguais a qualquer outra pessoa da sociedade em geral.

Encontre o BDSMer na foto abaixo:

Group of a happy Business People standing together and looking at the camera. Isolated on white background. [url=http://www.istockphoto.com/search/lightbox/9786622][img]http://dl.dropbox.com/u/40117171/business.jpg[/img][/url]

Parece uma foto daquelas campanhas corporativas e coloquei por representar bem a situação. BDSMers, SadoMasoquistas, e etc, estão vivendo suas vidas como você, com contas a pagar e tudo mais. Nós não somos diferentes.

E aí vem outra questão, quantas pessoas “normais” (não BDSMers) usam elementos BDSM em suas vidas sexuais? Fazendo uma analise mais criteriosa, Tapas na bunda, aquela “pegada” pelos cabelos, aqueles apelidos carinhosos que nos damos na hora H, aquela amarração, vendas, mordidas, arranhar as costas, mamilos, tudo isso seria BDSM, tudo isso seria SadoMasoquista, porém se feito com menor intensidade não é Sado?

Talvez, se vc tentar ver a coisa toda como realização sexual e realização pessoal por parte dos praticantes, você mesmo comece a aproveitar melhor os seus fetiches e a ter uma vida sexual mais prazerosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *