Press "Enter" to skip to content

BDSM – Básico

Ares 1

(texto originalmente postado no bdsmmg.com.br o site que eu uso para divulgar eventos em BH)

BDSM por muito tempo já foi limitado e comparado somente a SadoMasoquismo, porém o conjunto de práticas e jogos relacionados a BDSM forma toda uma subcultura que não inclui somente algemas e dar e/ou levar tapas, inclui também roupas, costumes, e até dinâmicas de relacionamento que não se encaixam completamente na sigla.

A Sigla BDSM agrega Bondage e Disciplina (B/D), Dominação e Submissão (D/s), e Sadismo e Masoquismo (S/M).

Essa subcultura é extremamente diversa, nela cabem fantasias e fetiches de todos os tipos, desde a tradicional SchoolGirl, à professora exigente com uma régua de madeira intimidadora, até aquele escravo doméstico que usa a fantasia de empregada (empregadinha ou sissy para os íntimos) e serve à sua Dona em uma sessão ou Cena.

fetiche-professora-schoolgirl-roupa-de-latex-castigo

(foto retirada da internet)

Normalmente o ato em si, ou a brincadeira, chamamos de “sessão” ou de “cena”, não tem um tempo pré definido, um roteiro em si, ou nada demais, só recebe esse nome por ser um tempo em que acontece a coisa toda.

Neste contexto temos abertura para realização de inúmeras fantasias, sabe aquela fantasia da sua parceira usar uma cinta peniana (strapon ou strap-on que são os termos em ingles) para fazer inversão de papéis, um homem se vestir de roupas femininas se tornando uma sissy ou uma crosdresser, um Dominador másculo e viril dominar sua submissa ou submisso, tem espaço pra tudo desde que siga uma regrinha básica.

SSC, em bom português, São, Seguro e Consensual.

Fazer as coisas de forma Sã, é estar em sã consciência, evitar o que altere a percepção, como álcool em demasia, drogas e até aqueles dias em que seu humor está alterado e vc está uma pilha de stress.

Fazer as coisas de forma Segura é controlar os riscos, respeitar os limites e evitar situações que possam fugir do controle e ser prejudiciais. Exemplo, Digamos que vc resolve fazer uma amarração, um bondage, tem que ser verificado a questão de circulação, se não está prendendo nenhum nervo, se a pessoa amarrada consegue manter aquela posição por um tempo, ter uma tesoura para cortar as cordas caso seja necessário, e por aí vai. Em algumas brincadeiras o risco pode ser afrodisíaco, como aquela brincadeira exibicionista em um lugar publico ou através da janela, o objetivo de todos esses jogos é ter prazer, para tanto é necessário sempre ter uma medida de segurança ou noção dos riscos envolvidos para não transformar o prazer em algo ruim.

Consensual, esta é sem duvida uma coisa fundamental em qualquer ato sexual, sessão BDSM, cena e tudo mais que tange a sexualidade. O Objetivo é ter prazer, então todos que estão envolvidos tem que querer e consentir. Na cena BDSM, muitas pessoas utilizam uma Safeword, uma “palavra de segurança” em tradução literal, que serve para avisar que está se chegando ao limite, ou que se está no limite e neste caso parar completamente a cena.

Obrigar alguém a fazer algo que não quer é crime punível pelas leis da nossa sociedade.

Isso tudo que vc leu até aqui é uma introdução ao BDSM, quais práticas e fantasias servem pra você? Só com autoconhecimento e experiencia você terá esta resposta.

O que serve para todo mundo? Respeito as diferenças, o seu fetiche não é igual ao meu fetiche, nós nos respeitamos e desta forma coexistimos de forma harmônica.

  1. Maria Carolina Maria Carolina

    Gostei muito dessa introdução ao básico, gostaria de saber mais, quero me aprofundar em BDSM, só sei bem por cima, gostaria que você entrasse em contato comigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *